4 ações que trazem economia e qualidade na obra

capa planejamento

Reduzir o custo da obra sem interferir na qualidade e segurança da construção é algo que todos buscam, mas poucos conseguem. Isso porque é preciso planejamento  e perspicácia na escolha dos produtos e serviços. Às vezes o barato sai caro demais! Separamos aqui 4 ações que trazem benefícios, garantindo economia e qualidade a obra e devem ser inseridas nos seus planos de construção.

 

  • Planejamento

A primeira delas é o planejamento. Apesar de parecer ‘meio óbvio’, poucas pessoas realmente planeja por completo uma obra, com controle de gastos, escolha de materiais, serviços, prazos, entre outras coisas. De acordo com  o mestre Maurício Moreira e Silva Bernardes, autor do livro Planejamento e Controle da Produção para Empresas de Construção Civil, da LTC Editora, no país se gasta pouco tempo com o planejamento das obras e isso acarreta em edificações mais caras e até de qualidade inferior. Para Maurício, é possível reduzir em até 15% o valor da obra apenas fazendo um planejamento adequado. O uso de tecnologias inadequadas, desperdício, escolha de mão-de-obra pouco qualificada ou recursos incompatíveis com o tamanho do projeto são decorrentes de um mau planejamento. Para este planejamento existem várias metodologias e softwares. Mas este é um assunto para outro post.

  • Profissionais qualificados

A falta de qualificação destes profissionais, além de prejuízos, pode acarretar má qualidade dos serviços, baixa produtividade e até mesmo aumentar o risco de acidentes por dificuldades na utilização de máquinas e equipamentos cada vez mais sofisticados. Um operário qualificado, que sabe o que está fazendo, diminui os riscos e as chances de o trabalho sair mal feito e ter que ser refeito. Além da qualidade do serviço, esse profissional acaba produzindo mais.

  • Tecnologia

Alguns pesquisadores da Engenharia definiram a tecnologia como uma construção social abrangendo, além de aperfeiçoamentos de processo produtivo e de produtos, a gestão do conhecimento tecnológico, do conhecimento empresarial, do conhecimento operacional e do conhecimento das relações interpessoais. Seja por meio da implementação das mais novas técnicas e das práticas sustentáveis, seja por meio do desenvolvimento de materiais diferenciados que elevam a qualidade das construções, já não se pode ignorar que as novas tecnologias trazem inovação para o segmento e muitas vezes economia. Softwares de controle, máquinas modernas de reaproveitamento de material, robôs, tipos de materiais. A lista de possibilidades é grande e vale a pena pesquisar antes de ‘por a mão na massa’.

  • Sustentabilidade

A Sustentabilidade envolve todo o processo da obra, desde a organização das práticas diárias ao uso de materiais que não trazem prejuízos à obra e meio ambiente. O desperdício não pode ser visto apenas como o material refugado no canteiro (rejeitos), mas sim como toda e qualquer perda durante o processo. Portanto, qualquer utilização de recursos além do necessário à produção de determinado produto é caracterizada como desperdício classificado conforme: seu controle, sua natureza e sua origem.

De acordo com o controle, as perdas são consideradas inevitáveis (perdas naturais) e evitáveis. Essas perdas podem acontecer por superprodução, substituição, espera, transporte, ou no processamento em si, nos estoques, nos movimentos, pela elaboração de produtos defeituosos, e outras como roubo, vandalismo, acidentes, etc. Conforme a origem, as perdas podem ocorrer no próprio processo produtivo, como nos que o antecedem, como fabricação de materiais, preparação dos recursos humanos, projetos, planejamento e suprimentos. Observe-se que, em todos os casos, a qualificação do trabalhador está presente.

Se pensarmos na questão  de consciência e preservação ambiental, estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção. É uma necessidade adotar medidas e planos de gerenciamento que visem minimizar a geração dos resíduos produzidos orientando seu correto acondicionamento, coleta, armazenamento, transporte e disposição final.

 

 

 

 

Fontes:

www.espacoacademico.com.br/061/61sposto.htm

www.construcaomercado.pini.com.br/negocios-incorporacao-construcao/7/artigo281792-1.aspx

www.cimentoitambe.com.br/planejar-pode-reduzir-em-ate-15-o-valor-da-obra/

www.mobussconstrucao.com.br/blog/2016/03/01/conheca-as-novas-tecnologias-para-a-construcao/